Visualizar praia em um mapa maior

domingo, 28 de maio de 2017

EM MEMORIA AO PAI KAOBAKESSY BABALORIXÁ DO CANDOMBLÉ , NASCEU EM :11.08.1957 À 15.03.2017 DESCANSE NA PAZ E AMOR OXALÁ .

Edison Ribeiro Mandarino (11-08-1957 - 15-03-2017) mais conhecido como Pai Kaobakessybabalorixá do Candomblé de São Paulo, um dos ícones da atualidade em São Paulo, por representar bem o seu Axé. Pai Kaobakessy é o atual dirigente do Ilê Alaketu Ijoba Asé Ayrá - São Paulo, filho interino da Casa de Oxumarê - Salvador (Bahia) Faleceu em São Paulo no dia 15 de março de 2017.

História[editar | editar código-fonte]

Aos Onze dias do mês de Agosto de 1957 na Cidade do Rio de Janeiro, nascia um menino que mais tarde se tornaria um dos grandes Babalorisás de São Paulo, recebendo como nome original de Edison Ribeiro Mandarino.
Tendo seu primeiro contato espiritual aos 5 anos de idade, quando levado por sua Mãe Maura Ribeiro Mandarino, que muitos anos depois tornou-se Ekedy Oronipale de Ogum, por problemas conjugais da mesma, no Terreiro de Umbanda Caboclo 7 Flechas, localizado no Mercadão de Santos, dirigido pelo então Dep. Estadual Dirceu de Souza Lima. Ao adentrar no terreiro o pequeno Edison veio a desfalecer (desmaio), tendo assim o seu primeiro sintoma mediúnico, o guia chefe da casa, o convidou para fazer parte de seu terreiro, pela pouco idade sua Mãe não permitiu na época que o mesmo frequentasse, devido sua família não ter muita simpatia pela religião espírita.
E assim passaram-se 3 anos, e ao separar de seu esposo Maestro Eddie de Gloris Mandarino, Dona Maura, mudou-se para São Paulo no bairro de Vila Prudente.
Conheceu então sua vizinha, que veio a ser sua madrinha de batismo Dona Olga, que por coincidência era espírita e recebia o Caboclo 7 Flechas, onde a mesma o levou para um Terreiro de Umbanda de nome Tupã Oca do Caboclo do Vento. Quando entrou novamente no terreiro, Edison veio a desmaiar ouvindo pela segunda vez a necessidade de um desenvolvimento espiritual. Com a aceitação de sua Mãe, assim foi feito. Recebeu sua primeira entidade espiritual já com 8 anos de idade o Caboclo Tanamakuary, caboclo este que roda em seu filho até os dias de hoje, homenageado na terceira semana do mês de Novembro.
Aos 11 anos de idade, o menino Edison se apaixona por uma umbanda de nome Tenda de Umbanda Nossa Senhora do Rosário, dirigida pela Madrinha Dona Maria, mais tarde iniciada em Xango pelo Babalorixá Pérsio de Xango na Cidade de São Bernardo do Campo, e este foi o primeiro contato com um babalorixá do seu atual segmento. Em conversa com o Babalorixá Pérsio, ele disse: - Este menino é de Xango Maria. Tata Pérsio o ensinou a dançar para Oxosse sendo o primeiro Orisá que Edison conheceu dentro do candomblé. Permanecendo por mais 1 (um) ano na Umbanda, conhecendo assim o Babalorixá Nelson Tadeu vulgo Kamussuan (In Memorian), que o levou para o Ile Xango e Ogum no bairro da Saúde - SP, cuja dirigente era Dona Teresinha Gutierrez Mameto Namboazaze De N'zaze, iniciada por Yele Pires Fernandes de Oxum, neta de Oyace, bisneta de Miguel Grosso ( Dewanda ) e tataraneta de Joãozinho da Goméia.
Em 1970 no mês de Fevereiro, recolhe o menino Edison para ser iniciado no Inkice Luango, recebendo como dijina Kaobakessy tendo como Erê Rochedo Encantado. permanecendo na casa até a sua obrigação de 14 anos, recebendo seus direitos sacerdotais com sua Mameto, onde iniciou 600 pessoas na nação de Angola.

Babalorixás iniciados na nação Angola[editar | editar código-fonte]

entre alguns podemos citar: Mauricio Rodrigues Ribeiro (Ronilajo), Onilde Bezerra da Silva (Oya Dyoressanda), Eduardo Brasil (Tata Matamoride), Marcia Guedes (Tawassybere), Yalecy de Yemanjá (in memorian), José Ambrosio (Sindomindessy), Luiz Carlos Duran (Babá Alaibiale), Sergio Ribas (Oroninkaire), Gerson de Oxosse (Baba Tawnderan), Marcelo de Moura (Babá OdéOfanile), Washington Trajano Guedes (Ominarenan) In Memorian, Isabel Aparecida Julio (Kaya Indamalessy), Dalva Melin (Senzanissan), Paula de Alcantara (Akolossidan), Inacio de Obaluaye (Ujikande), Luis Fernando Brito (Diandadyare), Tereza de Oxum (Dialunssanda), Luzia da Silva ( Oya Topeleji ), Gloria Vebber (Sindoremin), Honorio Hondo - Babá Norinho (Kaundiala), Paulo del Corso (Zaze Undele), Ricardo de Xango (Kamundere), José Carlos Soares ( Luagikasseny ), Ozaneide Bezzera da Silva ( Oya Synde ) In Memorian, Iraci de Oyá ( Oyáfunké ) Claudio de Ossayin ( Kafilandiassy ) In Memorian, Doralice de Obaluaye ( Kimsualenji ), Untalessu de Odé, Tereza ( Oba Ninssure), Tiãozinho ( Fasunibara), Rodrigo de Oxoguian ( Kajainan ), Conceição de Xango ( Kalujassinan ), Fassunibara, Dulce de Omolu ( Kafundere ) In Memorian, Lourdes de Oxumare ( Tobogidan ), Valentin Galiera ( Tata Tolussinambe ), Claudia Salomão ( Indaronan ), Barajikan de Exú, Daniel de LogunEde ( Odekuessemin ), em Mato Grosso do Sul: Delza de Oxumare, Marcia de Yansã ( Simbeloyá ) e Luzinete de Yemanja entre outros grandes sacerdotes da atualidade.
Após o falecimento de Mãe Namboazaze, viajou até Salvador - Bahia, onde seu orixá Ayra o guiou para a Casa de Oxumare, pois quando se deu conta já estava dentro de uma roça de candomblé, sem saber como, havia parado lá, pois seu pedido ao Taxista fora de ir para casa do Pilão de Prata e o mesmo o deixou na Casa de Oxumare. sentindo muito apreço pela Iyalorixa do local, que era Ya Nilzete de Yemanja - In Memorian, filha carnal da saudosa Simpliciana ( Vô Simplicia de Ogum In Memorian ) e filha de santo de Manoel Cerqueira de Amorim mais conhecido como Pai Nezinho de Ogum, filho de santo de Dona Menininha do Gantois. Ayra solicitou que ali ele ficasse.
Após algumas obrigações feitas para o Babalorixa no axé, ficou para o mesmo voltar em março, para obter a resposta se Mãe Yemanja o aceitasse no axé ou não, e assim foi, depois da permissão de Yemanjá, nossa mãe o entregou diretamente ao que se tornaria o herdeiro da casa. Pois após 5 dias infelizmente Ya Nilzete de Yemanja veio a falecer.
Em Julho de 1990 o Babalorixa então, herdeiro da Casa de Oxumare, deu continuidade as suas obrigações sacerdotais de Pai Kaobakessy, tornando-o o primeiro integrante da Casa de Oxumare em sua gestão, sendo assim o primogênito de Sivanilton Encarnação da Mata (Baba Pecê de Oxumarê), Baba fazia muita questão que Kaobakessy no 7º (Sétimo) ano fosse até o Asé, para tomar seu Ajodun, pois assim criaria um vinculo maior com a casa,e desta maneira tudo correu com a vontade de Yemanja e Ayra.
Durante 6 anos consecutivos Baba Pecê, vinha a São Paulo no mês de Julho (Data das festa de Ayra) para comemoração do Ajodun de Kaobakessy, aproveitando cada ano para assentar as entidades pertinentes ao asé, o seu primeiro barco de Ketu foram os Orisás Odé e Osumare, onde inaugurou sua sede própria no bairro de São Miguel Paulista - São Paulo, passou a iniciar seus novos yawos na nação ketu, dai passando a ser um dos percursores do culto aos Orisas da família de Baiani, dinastia mitológica da cidade de Oyo, aos quais são celebrados tradicionalmente em julho junto a festa de Pai Ayra e à procissão de adé baáyàni (pronuncia-se Adê Baiani), ou "Coroa de Dadá" símbolo de poder da nobreza mística de Oyo. Após muita luta com a criação do seu Ilê, hoje transformado em associação cujo nome é Associação Ile Alaketu Ijoba Axé Ayra, associação está que presta ajuda a sua comunidade até os dias de hoje.

Babalorisás iniciados em Ketú[editar | editar código-fonte]

Com sua entrada na nação Ketú iniciou vários sacerdotes dentre quais na grande são paulo e capital: Marcelo Boffa de Ogun, Diego Mandarino de Omolu, Marcelo de LogunEdé,Luiz Fabio Baptista Pereira (Bula de Osogiyan), Rey do Amaral de Odé, Maria de Oxum ( Ominkelejy ),Lucas de Obaluaye ( Kinssunanji ), Babá Kadu de Osogiyan, Andre Pinto ( Karê ), Adir de LogunEde, Oswaldo de Ayra, Roberta de Oxum, Paulo de Baru, Adeilson de Ayra, Maria Lucia de Yansan ( Matamborocy ), Gangalemin de Ossayin, Sergio de Odé, Babá Bruno de Odé (Neto Kare),Ruy Syrio Junior de LogunEdé, Dercio de Oxossi In Memorian, Ana Cristina de Oxum ( Ominkoyacy ), Wagner de Oxumarê, Ya Ingrid de Yansan, Ari de Ayra, Paulo de Ayra, Belo de LogunEde, Bita de Osogiyan, Cecilia de Oxum, Nadir de Oxum, Luan de Oxumare, Elisa de Yemanjá, Paulinho de Ayra, Marcia de Ossayin, Grão de Odé, Elaine de Yansan, Iza de Odé, Yá Rose de Oxum Ajagurá de Embu Das Artes), Neide de Oxum, Rosangela de Xango, Doroti de Yansan, Richard de LogunEde, Dantas de Oxum, Lucia de Oxum, Luiz Carlos de LogunEde, Marcos de Oxum, Everaldo de Osogiyan In Memorian, Sonia de Odé, Jefferson de LoguneEde, Bebezinho de Oxalá, Paulo de Osogiyan. Entre outros estados citamos Rio de Janeiro: João de Ossain; Poços de Caldas: Rowilson de LogunEdé, Davi de Xango, Godofredo de Xango; Belo Horizonte: Maria das Dores ( Nakuejinan ); Uberlandia: Gilberto de Baru, Julio de Xango In Memorian, Elvis de Osun, Gustavo de LogunEdé, Eduardo de Osogiyan (Oxalazinho), Fatima de Oxum; Ituiutaba: Renato de Yansan; Capelinha: Maria de Oxum; Florianópolis: Mara de Oxum, Jussara de Oxum, Rosa de Oya, Iyá Siça de Yemanja; Navegantes: Marcelo de Osogiyan; Curitiba: Romilda de Nanã In Memorian, Israel de Oxum, Mainha de Oxum ( Luaremin ) In Memorian, Maria de Oxum, Adalberto de Oxum; Juazeiro do Norte: Caco de LogunEdé, Miguel de Oyá; Fortaleza: Lucia de Oyá, entre várias filhos de estados e países da Europa como Itália, Espanha, Portugal e Suíça, com tudo já foram iniciados 4.043 filhos, tendo até a Oitava geração (Octanetos)

www.sositaguare.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário