Visualizar praia em um mapa maior

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Recordando o passado da história do meu Brasil.

A história que conto é de um passado , triste e cruel onde os negros oriundos da mãe Africa ,  já eram escravos ,  muintos prisioneiros de guerra pelas próprias tribos Africanas , e eram comercializados para os europeus para trabalhos pesados e muintos vieram para o Brasil.
Trabalharão foram escravisados , torturados , humilhados , etc.
Muintos negros se relacionaram com os brancos , e é aqui com os meus 5.5 anos de idade é que cheguei a uma conclusão que o sangue do negro corre na veia de muintos que nasceram de cor branca , e que infelismente o racismo é uma falta de amor .
 Amor ao próximo, pois perante a Deus somos todos irmãos , sem discriminação , cor , crença e raça.
E cada um individuo tem a sua história para contar , mas se escondem na mentira e não são suficientemente capazes de admitir a sua origem , sua cor e raça.
E no fundo de minha consciencia , percebi que a mentira , tem pernas curtas e que nada que aconteçeu em minha vida foi em vão.
Um dia conheçi a capoeira e dela meu pai me retirou , hoje entendo o motivo que na época ele não me contou.
Sua avô era de cor negra , usava turbante ,roupas brancas e pitava cachimbo.
 Pouco falava e se empenhava catando lenha ,para cozinhar e os afazeres domesticos.
O seu avô era de cor branca da cidade de Jacarei.
 E com ele meu pai vivia ,saiam juntos ,montando a cavalo ,para trabalhar em um sitio , distante , onde , criavam , plantavam e colhiam para o seu sustento.
O meu avô era italiano vindo de Veneza .
Faleceu na época da Guerra 1932 .
A minha avó era de cor parda brasileira da cidade de Jacarei.
O meu avô por parte de mãe era caiçara de São Sebastião
E minha avó era portuguesa da Ilha da Madeira .
E eu sou Brasileiro capoerista com muinto orgulho , da Associação de Capoeira Senzala do Mestre Sombra..
Conheçi a capoeira com 16 anos , o falecido Alfredo Neto Garcia , me levou trabalhava- mos de menssageiros na Agência Maritima Dickinson S/A.
Um dia houvi dizer que tinha de me pintar de preto para participar de uma encenação de capoeira .
Pobre descriminação que não te libertas mal sabes de onde venho e a mistura de raça que tenho e orgulho de ser.
Já fui Papai Noel negro e fiz muito adulto e criança ,perceberem que não importa a cor .
O que importa na vida é o amor.
 E o sangue negro , italiano e portugues correm em minhas veias e fazem parte da historia que recordo.
Das cabeçadas portuguesas às brigas das zebras Africanas deram origem a capoeira , arte , luta e cultura do povo brasileiro
 Recordando o passado da história do meu Brasil.

www.sositaguare.blogspot.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário