Visualizar praia em um mapa maior

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

DIA 02.02.2017 DIA DE YEMANJÁ - BARCO DE LUXO INFINITY INCÊNDIADO NA PRAIA DE SANGAVA 20.01.2017 ESTÁ SENDO RETIRADO AOS PEDAÇOS POR UMA RETROESCAVADEIRA , POLUINDO O MAR E PRAIAS COM RESIDUOS SÓLIDOS .

Onze dias após acidente, pedaços da embarcação ainda estão no local (Foto: G1)
O incêndio com a embarcação de luxo Infinity, que pegou fogo em uma praia de Guarujá, no litoral de São Paulo, no mês passado, completou 11 dias nesta quarta-feira (1º). Passadas quase duas semanas, a lancha de cerca de 25 metros de comprimento ainda não foi retirada e continua soltando fuligem no mar e deixando destroços na areia. Banhistas e canoístas que frequentam o local temem o risco de acidentes e poluição ao meio ambiente.
Embarcação estava atracada próximo à praia do Sangava (Foto: Oscarlino Barbosa/Arquivo Pessoal)Embarcação estava atracada próximo à praia do
Sangava (Foto: Oscarlino Barbosa/Arquivo Pessoal)
O acidente aconteceu na tarde do dia 20 de janeiro deste ano, na Praia do Sangava, próximo à Ilha das Palmas, em Guarujá. O G1 já havia mostrado que três dias após o incêndio o casco e parte da estrutura incendiada da embarcação permaneciam no local. Naquele dia, um outro barco estava atracado próximo à Inifinty com uma bóia de contenção no entorno da lancha.
Questionada sobre o ocorrido, a Capitania dos Portos informou, na ocasião, que o proprietário da embarcação tinha um prazo de cinco dias para apresentar um "plano de remoção". O documento, no entanto, só foi apresentado na última terça-feira (31), segundo informou a própria Marinha do Brasil.
"O proprietário, que já foi notificado pela Capitania dos Portos de São Paulo no dia do acidente, tem a obrigação de realizar a retirada mediante apresentação e aprovação prévia deste plano, assinado por um responsável técnico qualificado".
G1 também entrou em contato com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), a agência do Governo do Estado responsável pelo controle, fiscalização, monitoramento da qualidade das águas, do ar e do solo. A Cetesb informou que não constatou óleo no local após uma vistoria realizada no dia 24 de janeiro, em cojunto com o Ibama, e que a Capitania está acompanhando o caso.
Destroços da embarcação continuam na praia do Sangava após acidente (Foto: G1)Destroços da embarcação continuam na Praia do Sangava após acidente (Foto: G1)
Lancha ficou totalmente destruída (Foto: Lucas Dias/Especial para o G1)Imagem mostra lancha três dias após acidente (Foto: Lucas Dias/Especial para o G1)
Hoje , dia 02.02.2017 Dia de Yemanjá , após remada com a Canoa havaiana OC6 com parada na praia de Sangava , estavam dois barcos de resgate maritimo , mais uma balsa com uma retro escavadeira ,retirando aos pedaços , parte da lateral da embarcação Infinity e colocando em cima de uma balsa tipo Ferry-boat .Muitos residuos sólidos estão boiando seguindo a correntesa , são muitos pedaços de micro isopor , muitos pedaços grandes ficaram espalhados na praia , mas foram coletados e colocados em um lugar , mais se tiver uma ressaca , estes residuos vão para o mar .Ainda tem placas de fibras de vidro e pedaços de manta espalhados junto com pedaços de cordas , foram coletados e estão a espera de ser retirados do local .Falei com um trabalhador , para ajudar na coleta das maiores partes , muita ferragem , nada se aproveitou da embarcação .Muitos pedaços de isopor , espalhados pela praia de Sangava , esta foi a minha contribuição no dia de minha mãe Yemanjá , que é dona das aguas , rainha do mar .Salve , Yemanjá .
www.sositaguare.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário